Música

Há 22 anos o Bon Jovi lançava o álbum “These Days”. Relembre como foi a passagem da banda pelo Brasil nessa turnê.

By  | 

Por Claudia Skobelkin. Fotos: Claudia Skobelkin. Foto Capa These Days: Bon Jovi

Há 22 anos o Bon Jovi lançava o sexto álbum de estúdio do grupo, o excelente “These Days”,- um dos melhores discos da banda- e repleto de baladas de hard rock, que inclui os hits “This Ain´t a Love Song”, “Lie To Me”, “These Days” e “Hey God”. O álbum foi o primeiro sem o baixista Alec John Such, transformando o Bon Jovi em quarteto a partir desse momento e chegou ao número 9 nos Estados Unidos, além de alcançar o topo da parada em vários países, entre eles Reino Unido, Canadá,  Irlanda, Austrália, Finlândia,  Alemanha, Portugal, Suíça, Japão, Holanda e Áustria. Rendeu uma série de shows no lendário estádio Wembley, em Londres e ganhou até DVD.

Considerado um disco “dark” por conter letras melancólicas e depressivas, These Days é também um álbum ímpar e sensacional, com riffs e solos de guitarra absurdos do gênio Richie Sambora, liricamente profundo, reflexivo e tão verdadeiro que praticamente faz a nossa alma  “gritar”, que atire a primeira pedra quem nunca chorou ouvindo uma balada boa após levar um pé na bunda do namorado-  eu acho que todo músico de rock deveria ouvi-lo, por conta de sua grandiosidade musical-, contrariando a temática básica de outros discos do Bon Jovi:  letras que falam sobre amor e relacionamentos de uma forma positiva, causas sociais, política e mensagens de otimismo. Para o guitarrista e cantor das bandas Bubbles e R4, Rodrigo Armelin, These Days tem um significado especial: “sem dúvida é o melhor e mais maduro álbum do Bon Jovi. Composições e arranjos incríveis e produção impecável”, conclui.

O cantor Marco Ackua ( ex Knock Out, atual Ackuaband e Polivox) também falou sobre esse álbum. “Adoro esse disco, eles estavam no auge da forma. Um disco com melodias maravilhosas, Sambora tocando e cantando muito e com composições inspiradíssimas. Gosto muito das baladas. Não è à toa que a tour foi tão bem sucedida e as músicas geraram tantos clipes na MTV, além de um DVD oficial em Wembley. Tornou-se um clássico, talvez o último clássico da banda na minha humilde opinião. Existem outros discos bacanas depois desse, mas acho difícil um que supere esse nos dias atuais. Tomara que eu esteja enganado”, afirmou.

Já o guitarrista e violonista Eduardo Zanchi, indicado ao Grammy Latino pelo trabalho executado na sua banda Ceremonya, falou desse álbum e de uma época de ouro das gravações e apresentações ao vivo: “Apesar de não ser um dos discos que eu mais ouço do Bon Jovi, considero o These Days uma obra de arte, assim como tudo o que a banda produziu e produz. As bases cheias de guitarras quentes além de darem a textura de execução ao vivo, marcam uma época de gravações menos  “enlatadas”, processadas ao extremo, onde os músicos precisavam tocar mais e melhor e onde a execução fiel do trabalho era realmente possível somente com os membros da banda, sem a necessidade de músicos de apoio e VS”,conclui.

Parte do sucesso do TD vem do fato de Jon Bon Jovi e Richie Sambora serem ótimos compositores e a parceria com o brilhante Desmond Child é um plus que não se pode ignorar. Vale a pena ressaltar que algumas músicas foram escritas entre 1990 e 1992, fase em que Jon Bon Jovi estava passando por um período depressivo e a banda estava parada.

“Dane-se se você me ama – Dane-se se não
Está ficando difícil de continuar, mas eu não posso deixar você ir
Dane-se se você não precisa de mim – Dane-se se precisa
Deus, eu desejo não ser eu usando esses sapatos
Dane-se, Dane-se”- Bon Jovi: Damned

O conjunto fez uma turnê que passou por quase todos os países do mundo para divulgar o These Days e incluiu  alguns países da América do Sul e também o Brasil, com shows realizados no Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo.  Relembre alguns momentos do show na terra da garoa.

Bon Jovi These Days Tour- São Paulo.

O Bon Jovi se apresentou na pista de atletismo da pista do Ibirapuera, no dia 28 de outubro de 1995 ( o evento foi transmitido pela TV Bandeirantes ao vivo), debaixo de chuva torrencial para mais de 35 mil pessoas e teve a abertura da ótima banda de hard rock DR. SIN ( que infelizmente encerrou as atividades recentemente).

Os norte-americanos subiram ao palco às 21h , tocaram por cerca de 2 h e 30 min e fizeram uma gig memorável que incluiu hits clássicos como “I´ll Be There For You”- em uma das versões mais lindas que eu já vi ao vivo dessa música, “Living On A Prayer”, “You Give Love a Bad Name” e canções do “These Days”, como as baladas “Diamond Ring” , “This Ain´t a Love Song” e “Lie To Me”. Cá entre nós, as baladas de hard rock são as melhores do mundo, né?

Quase sem efeitos especiais, dois bonecos infláveis que “bailavam com o vento” apareceram no palco enorme da banda durante o cover da música “Jumping Jack Flash”, dos Rolling Stones e chamaram a atenção : Um Elvis “chifrudo” e uma “stripper” com cara de galinha. Hahaha.

Bon Jovi recebendo discos de ouro e platina na coletiva de Imprensa da banda em São Paulo.

Para os admiradores antigos do grupo como eu,- sou fã da banda desde 1987 e quem me conhece sabe que Bon Jovi é a banda da minha vida – é relevante afirmar que nós tivemos a sorte e a chance de ver ao vivo um dos últimos shows do BJ com discos e composições excepcionais. Na minha opinião (cada um é livre para pensar da forma que quiser) a banda é excelente do primeiro álbum “Bon Jovi” (1984) até o disco “These Days” (1995), muito bom do “These Days” até o “Lost Highway’  (2007) e sofrível nos três últimos trabalhos.  Sad But True, Brasil.

E se considerarmos que nessa época Richie Sambora ainda era o guitarrista do Bon Jovi-ele abandonou o conjunto em 2013 no meio de um turnê( provavelmente devido ao problema com alcoolismo novamente) deixando Jon Bon Jovi desesperado-, a alegria de ter vivenciado tudo isso de perto fica ainda maior. Porque a gente precisa combinar, tá pra nascer uma química e sintonia mais perfeita do que Jon Bon Jovi e Richie Sambora na música, nas composições e no palco, concorda? E além disso a voz do Jon e o backing vocal do Richie cantando juntos é algo que só pode ser definido como perfeição. Tô falando disso aqui, que até no vídeo emociona:

Acostumado a lotar estádios ao redor do mundo há 30 anos , a interagir com o público de uma forma sedutora que só ele sabe fazer e executar canções de álbuns que vão ficar pra sempre na história da música e do rock ( Slippery When Wet e New Jersey que o digam|), Jon Bon Jovi nasceu pra ser frontman. E acompanhado de músicos tão excelentes como ele, o resultado não poderia ser outro: cada show do Bon Jovi é único e emocionante para os seus fãs, um presente e com certeza um dia muito importante na vida de seus admiradores, como foi o dia desse espetáculo em São Paulo, por exemplo. E que venha logo o show do Bon Jovi no Rock In Rio 2017. Here I Go Again. Poderia ser com o Richie Sambora. Pronto, falei.

Set list do show.

  1. Rockin’ in the Free World
    (Neil Young cover)
  2. Livin’ on a Prayer
  3. You Give Love a Bad Name
  4. Keep the Faith
  5. Blaze of Glory
    ( música de Jon Bon Jovi )
  6. Hey God
  7. Damned
  8. Something for the Pain
  9. I’ll Be There for You
  10. Diamond Ring
  11. Lay Your Hands on Me
  12. These Days
  13. Someday I’ll Be Saturday Night
  14. I’ll Sleep When I’m Dead
  15. Bad Medicine
  16. Jumpin’ Jack Flash
    (Rolling Stones cover)
  17. Always
  18. Wanted Dead or Alive
  19. Blood on Blood
  20. Born to Be My Baby
  21. This Ain’t a Love Song

Foi editora e responsável pela criação da Revista ‘Viver Nutrilite’ e redatora da BCS Comunicação. Trabalhou como repórter freelancer para diversos veículos de comunicação cobrindo shows internacionais, nacionais e eventos. Foi Assessora de Imprensa nas áreas de beleza, moda, saúde e bem-estar na Papiro Comunicação e Know How Comunicação. Foi Assessora de Imprensa da Ana Massella Dermatologia e Clínica Estética. Atualmente é editora de conteúdo do site Passaporte Cultura e repórter colaboradora do Site Gossip. Jornalista por formação, cidadã do mundo e de bem com a vida. Apaixonada por Deus, viagens, Bon Jovi, cinema e séries, SPFC, rock, Dalí e Ayrton Senna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *