Música

Há um mês Phil Collins se apresentava no Brasil. Relembre como foi o show no Maracanã.

By  | 

Por Claudia Skobelkin  Fotos: Midiorama/Internet.

Um dos maiores ícones da música pop internacional, o britânico Phil Collins veio ao Brasil para uma série de shows em fevereiro e se apresentou no Rio de Janeiro, em São Paulo e Porto Alegre. O músico trouxe o show “The Legendary Phil Collins Live”, que faz parte da turnê ”Not Dead Yet”, para a América Latina e também fez espetáculos no México, Peru, Chile, Uruguai e Argentina.

Phil Collins fez um show maravilhoso no Estádio do Maracanã ( Rio de Janeiro), no dia 22 de fevereiro e emocionou mais de 42 mil fãs em plena quinta-feira. Conhecido mundo afora inicialmente como baterista e depois como líder da banda Genesis, o artista é um hit maker de primeira e tem carisma de sobra. Não é à toa que ele já vendeu mais de 100 milhões de discos e está na estrada há mais de 40 anos.

Collins subiu ao palco às 21h 21min e com sua banda, composta por Leland Sklar no baixo, Daryl Stuermer na guitarra, seu filho Nic de apenas 16 anos na bateria e o trompetista Harry Kim, já mandou de cara ”Against all odds” (Take a look at me now), -uma de suas músicas mais famosas e composta para a trilha sonora do filme ” Paixões Violentas”, de 1.985. A plateia  foi ao delírio. ”Obrigada por terem vindo. Vamos cantar algumas canções que esperamos que vocês gostem”, afirmou o vocalista.

Na sequência vieram as clássicas “Another day in paradise”, “Throwing it all away”, “Follow you, follow me” e ”Something happened on the way to heaven”. ” Obrigada. Boa noite. Esse é todo o português que eu sei”, concluiu Collins. O ponto alto do show ficou por conta de  “Separate lives”, em dueto com Bridget Bryant,”In the air tonight” e ”Easy Lover”, momento em que o músico já havia transformado o Maracanã em uma pista de dança contagiante.

Vale ressaltar que o cantor permaneceu sentado durante todo o evento por causa de um problema de saúde que ele tem no pescoço e que afeta tanto a coluna quanto os movimentos das mãos e dos braços, o que também o impossibilita de tocar piano e bateria, infelizmente.  Mesmo assim o artista provou que ainda é um dos melhores ”front man’ do mundo. Phil Collins arrasou. A sua voz continua a mesma e as músicas românticas que marcaram gerações foram acompanhadas em uníssono pela plateia. Nostalgia boa.

Atemporal, o músico atraiu para o Maracanã fãs de todas as idades. Não ficaram de fora ” Sussudio”, ” Take me Home” e ” Dance Into The Light”. O único problema é que o show foi curto, muito curto.

O grupo de abertura foi o Pretenders, banda de Chrissie Hynde e Martin Chambers, também conhecida pelos hits que fizeram muito sucesso na década de 80.  Canções como Back on the chain gang, Don´t get me wrong , I´ll stand by you e Middle of the road agitaram por 1 h a plateia.

Foi editora e responsável pela criação da Revista ‘Viver Nutrilite’ e redatora da BCS Comunicação. Trabalhou como repórter freelancer para diversos veículos de comunicação cobrindo shows internacionais, nacionais e eventos. Foi Assessora de Imprensa nas áreas de beleza, moda, saúde e bem-estar na Papiro Comunicação e Know How Comunicação. Foi Assessora de Imprensa da Ana Massella Dermatologia e Clínica Estética. Atualmente é editora de conteúdo do site Passaporte Cultura e repórter colaboradora do Site Gossip. Jornalista por formação, cidadã do mundo e de bem com a vida. Apaixonada por Deus, viagens, Bon Jovi, cinema e séries, SPFC, rock, Dalí e Ayrton Senna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *